Land Lousã


Land Lousã, Marrocos, TTuristas e o Benfica by Rui Alexandre
14/08/2008, 10:35
Filed under: FUTEBOL, MARROCOS 2008

Em véspera de uma grande viagem (física, mental, quiçá espiritual), alguns elementos do Land Lousã estão num estado que, em futebol, se chama de estágio. Os anseios são muitos, a experiência é alguma e a expectativa é elevada. Alguns sentirão o peso do mundo nas suas costas, como se a responsabilidade pelo sucesso de uma expedição dependesse unicamente de si.

É nestes momentos que se vê a fibra dos campeões, dos vencedores, dos que vão mais além.

A preocupação, para além de sinal de inteligência, é um mecanismo de defesa, de sobrevivência. Quem se preocupa, fá-lo porque pensa; quem pensa, sobrevive. Acho bem.

No entanto, desejo a todos os TTuristas que seguem nesta fantástica expedição que vão sem medo. Sintam a liberdade de poder ir de A a B e de se divertirem a fazê-lo – ainda por cima, rodeados de família, amigos e companheiros.

Dando continuidade ao paralelismo com o futebol, que esbocei no primeiro parágrafo deste texto, aproveito para lembrar a estória de Tavares, jogador de um Benfica (que não é aquele que aprendi a gostar e que terá entrado em coma em 1994). Uma vez que o que não falta na Internet são blogues de futebol, cito a referida estorieta directamente do defunto Futeblog-total.blogspot.com:

«A borra é o antónimo da raça. A um jogador raçudo raramente lhe dá a borra nos grandes momentos. Quando muito, pode revelar insuficiência psicológica através de uma raiva incontrolada que desagua em expulsão ridícula (vermelho directo) por agressão bárbara a um adversário, sem aparente razão. E isso nunca é sinónimo de lhe ter dado a borra. Continua a ser uma inegável demonstração de raça.
O exemplo paradigmático – mítico até – da maior borra de sempre do futebol português aconteceu a 1 de Março de 1995: o jogador Tavares pisou S. Siro com a chemise do Benfica e, aos 23 minutos de jogo já houvera sido substituído por Kenedy, sem nenhuma razão aparente. Tavares não aguentou o ambiente infernal daquele estádio. Os joelhos tremiam, o suor era frio, o seu fio de jogo era menor que zero. Sentiu náuseas e quase se urinou pernas abaixo. Pediu a substituição. O que é que lhe deu? Deu-lhe a borra total.»

O objectivo deste post é motivar-vos para a expedição (ok, confesso que sempre quis que este blog tivesse uma Categoria “futebol”).

Esta viagem será mais um nó nos vossos laços de amizade – que não vos dê “a borra” e desfrutem ao máximo.

Boa viagem, tragam-me areia do deserto.

Land Lousã: só os duros é que penetram.

– Rui

Esta mensagem é dedicada particularmente aos “meus”: Tatai e Romy. Sei que vão em boas mãos. Até já.

Anúncios

6 comentários

E para um “Grande Filho” um grande comentário, pelo que postaste, quem não te conhecer fica a saber que és dono de uma grande sensibilidade e espirito forte, tens o dom da palavra e da escrita.
Vamos concerteza divertir-nos e sem “Borra”, voltaremos mais fortes e mais unidos pois a aventura e o desconhecido faz-nos crescer.
Fica aqui a promessa de no futuro este Blog irá ter uma Categoria sobre futebol… TAtai e Romy

Comentar por Rosa Maria

Obrigado Rui. Fica da leitura deste texto, sem sombra de dúvida, a demonstração de uma grande admiração e amizade que tens pelos teus pais. Será, com certeza, uma grande viagem, uma grande aventura…

Até breve.

Comentar por Ana França

Quanto mais manteiga passar agora, maior será o orçamento a gerir durante a sua ausência…

Estou a brincar… ou talvez não 😛

Comentar por androctonvs

Boas a todos

Gostava de dizer mais qualquer coisa… mas o quê!!!??? Tá tudo dito!!!

Que a força esteja convosco…!!!
Boa viagem e divirtam-se, pelos que não vos podem mas desejavam muito acompanhar.

Abraços

Comentar por Agostinho

uma boa viagem a todos é o que nós vos desejamos…

toni e susa

Comentar por CarlosOliveira

Olá…

E, eu como tive que ficar cá… vou ver o glorioso… Ah, pois é!!!!
Beijokas para todos e boa expedição!!!!

Comentar por Marta




Os comentários estão fechados.