Land Lousã


GRUPO MOTO VERDES by Parola Gonçalves
20/10/2008, 19:28
Filed under: MEMÓRIAS

Boas.

No verão de 1983, já lá vão uns 25 anos, um grupo de Motards em que eu me incluía, teimou em dar umas voltas de mota de “enduro” pelo país fora e como tal, acordaram depositar no Banco Fonsecas & Burnay todos os meses 5 000$00, para depois no verão seguinte partir como uns lordes a enrolar a espia do acelerador.

As motas eram desde Yamaha DT 125 a 350, Casal 125, lembram-se delas e Suzukis 125, umas máquinas loucas.

A nossa primeira viagem foi para a zona de Miranda do Douro, queriam conhecer o Douro Internacional, o Parque de Montesinho e toda a zona raiana. Como havia guito o pessoal só abancava em Pousadas, e como tal optamos pela de Miranda do Douro e de Bragança.

Naquele tempo o equipamento era calças de ganga, blusão tipo “Bombeiro” e umas botas alentejanas ou então de borracha. O que interessava mesmo era curtir.

Saímos muito cedo em direcção a Pinhel e depois em Miranda do Douro onde chegamos já de noite, porque pelo meio havia umas bejecas, uns banhos em pelota nas ribeiras ou rios, nada de pressas, porque o que interessava era apreciar a paisagem, e sobretudo comer bem e do melhor. Em Miranda do Douro era tanta a etiqueta na Pousada que os empregados estavam desconfiados do pessoal.

Ainda me lembro de levar na minha Yamaha DT 350 uma carta militar a escala 1:50000 e fazer navegação em andamento no Parque de Montesinho, nomeadamente da Aldeia de França a Rio de Onõr, era a loucura total com a espia toda enrolada. Aqueles banhos nas ribeiras geladas de Montesinho eram o “must”, com o pessoal descontraído.

Nas rectas entre Pinhel e Figueira de Castelo Rodrigo, era o pessoal deitado nos bancos das motas, prego a fundo em corridas malucas ou em números de circo fabulosos com um pé no assento da mota, as mãos no volante e o outro no ar, coisas de doidos, não é.

Em Miranda do Douro nessa altura adorei ver os burros de raça mirandesa que até hoje nunca esqueci a graciosidade da raça e da beleza do animal, uma raça que uma Associação a uns anos protege e cuida em Miranda do Douro.

Esta foi a 1.ª viagem de muitas que fizemos pelo país fora de norte a sul.

O grupo tinha um nome “Grupo de Todo Terreno Moto Verdes”, vá-se lá saber porquê?

Mas que era giro era.

Ainda hoje o pessoal se encontra e quando fizemos 20 anos houve uma boa jantarada.

Fiquem bem

Parola

Luís Martins

Torres

Tó Mané

Mico

Fazendeiro

Artur Fotográfo

Inté.

Fiquem bem

 

O Topé que ainda não era nascido nessa data está a digitalizar o Road-book que pode ser obtido clicando na imagem superior da capa do road book.

 

Anúncios



%d bloggers like this: