Land Lousã


O que é o formato GPX? by joaocarloscardoso
20/09/2009, 13:12
Filed under: CARTOGRAFIA, LANDLOUSÃ, MAPSOURCE, OZIEXPLORER/COMPEGPS

GPX, ou GPS Exchange Format, é um formato de armazenamento de dados GPS aberto e, como tal, destinado à troca entre aplicações e à partilha entre utilizadores que possam utilizar software diferenciado.

Os seus principais benefícios são:

  • Facilitar a troca de informação entre aplicações e infra-estruturas tecnológicas (MS Windows, MacOS, Linux, etc) diversas;
  • Fácil conversão para formatos proprietários (facto que tem contribuído para um grande suporte dos fabricantes, conforme é possível acompanhar na hiperligação http://www.topografix.com/gpx_resources.asp);
  • Estar ele próprio baseado em formatos abertos (XML).

 Internamente, os documentos GPX são documentos XML (EXtensible Markup Language) que obedecem a estruturas específicas quanto ao conteúdo e semântica, designadas de XML Schema Definition públicas. A primeira versão foi desenvolvida e tornada pública em 2002. Actualmente encontra-se na versão 1.1 (http://www.topografix.com/gpx/1/1/), apresentada a 9 de Agosto de 2004.

Na prática podemos então dizer que o formato GPX é um formato de dados em XML que se destina a armazenar dados de GPS (rotas, caminhos e pontos de passagem). Para poder ser importado por uma aplicação como o MapSource ou o OziExplorer terá então de estar bem formado e válido, conforme as recomendações definidas pelo consórcio W3C (http://www.w3.org/XML/):

 Tal como os documentos XML também os documentos GPX formam uma estrutura do tipo arborescente, a qual tem início num elemento raiz (elemento </gpx>) que organiza e dispõe hierarquicamente todos os outros elementos como “elementos filho”:

gpx

 Assim, um documento GPX apresenta-se como um conjunto estruturado de pontos (elemento </wpt >). Conceptualmente, se estes são armazenados debaixo do elemento raiz (elemento </gpx>) e sem qualquer relação entre si representam apenas pontos de passagem (waypoints), se antes são apresentados como uma colecção ordenada podem então exprimir caminhos (tracks) ou rotas (routes), e assim armazenados dentro de elementos </trk> ou </rte>. Um ponto tem que ter obrigatoriamente preenchido os atributos relativos à longitude e latitude. Estas constituem mesmo as propriedades mínimas para um documento GPX:

<?xml version=”1.0″ encoding=”UTF-8″?><gpx creator=”String” version=”1.1″ xsi:schemaLocation=”http://www.topografix.com/GPX/1/1 gpx.xsd” xmlns=”http://www.topografix.com/GPX/1/1&#8243; xmlns:xsi=”http://www.w3.org/2001/XMLSchema-instance”&gt;
        <wpt lon=”-180.0″ lat=”-90.0″></wpt>
</gpx>
Anúncios



%d bloggers like this: