Land Lousã


TODO TERRENO EM MARROCOS – RESTRIÇÕES À CIRCULAÇÃO (2) by Parola Gonçalves
01/02/2010, 21:57
Filed under: MARROCOS

Com o prometido é devido, este post apresenta o que pensamos sobre as restrições à circulação em território marroquino – depois de ler alguns fóruns, de ter trocado alguns mails com pessoal amigo de Espanha e Marrocos e, sobretudo, com o Rui Rodrigues da “MaltadosJipes”.
O site oficial http://www.tourisme.gov.ma é claro e não deixa qual margem para dúvidas no seu Anexo, nomeadamente em “Dispositions relatives à l’organisation de Rallyes, Raids, et autres manifestations similaires, à vocation sportive, de découverte et/ou touristique, motorisés ou non”.
A parte final do parágrafo anterior (“concentration touristique ou de découverte”), define – com pormenor – o que, para as autoridades marroquinas, se entende por “concentração turística ou de descoberta”, uma expressão que levanta dúvidas de interpretação.
A grande questão é saber o que entende por “concentração turística ou de descoberta”. Será que um grupo de amigos pode ser considerado uma concentração turística? A partir de que número é considerado como tal? Três, seis, doze? Esta foi uma questão que ninguém conseguiu esclarecer com clareza – tanto em Marrocos, como na Embaixada de Marrocos em Portugal. Diz o bom senso que mais de três viaturas já poderá ser considerado “um grupo”, logo ficando sujeito às disposições legais que entram hoje (1 de Fevereiro de 2010) em vigor.
Outra questão pertinente é saber se “um grupo de amigos” que se desloque a Marrocos, várias vezes por ano, tendo como “Cabeça” ou “Chefe” sempre o mesmo indivíduo – seja, ou não, considerado um “Tour Leader”, vulgo “TL” –, tendo para isso os registos de entrada/saída agregados no seu [do “Cabeça”] n.º de Polícia, quando se cruza a fronteira. Esta situação poderá levantar algumas dúvidas à polícia de fronteira, tornando-se pertinente conhecer as normas em vigor, para evitar situações menos agradáveis.

Assim, julgamos cauteloso tomar as seguintes medidas:

  • Entregar na Embaixada de Marrocos, com 60 dias de antecedência, em duplicado os seguintes elementos:
    – Programa do Passeio Turístico, com locais a visitar, lista de hotéis ou Parques de Campismo, tentando incorporar detalhes das zonas turísticas, nomeadamente Parques ou Reservas Naturais ou outros motivos de interesse;
    – Lista de pessoal, com nome, data de nascimento, n.º de passaporte e, caso já tivesse ido a Marrocos, o respectivo n.º de polícia;
    – Percurso detalhado, sobre o Mapa Michelin n.º 742 (ou outro), de preferência com um marcador grosso;
    – Lista de viaturas, com o nome do proprietário, marca e modelo, matrícula e n.º da apólice de Seguro e respectiva Companhia.
  • Caso não se opte por esta via, ou mesmo que o n.º de viaturas seja inferior a três, aconselhamos a tomar as seguintes cautelas;
    – Passagem da fronteira de Marrocos de forma desagrupada;
    – Não utilizar autocolantes nas viaturas;
    – Não utilizar t-shirts alusivas ao Passeio, na Fronteira;
    – Ter à mão um Programa do Passeio e dos locais a visitar e de dormida;
    – Em caso de mais uma ida, alterar o “TL”;
    – Discrição quanto baste.
  • De referir que, por norma, as pessoas que vão a Marrocos numa só viatura têm mais problemas com os controlos policiais, nomeadamente com a velocidade, a circulação em rotundas ou sinais de Stop, do que, em comparação com os casos em que circula mais de uma viatura. Já há uns anos que, por norma, quando chegamos a fronteira de Marrocos com mais de três ou quatro viaturas, a Polícia de Fronteira pergunta quem é o “ Chefe da Expedição” e solicita uma lista com os participantes e locais de dormida.

Este é o nosso contributo para nesta fase de todas as indefinições podermos “Passear ou Expedicionar em Marrocos” com tranquilidade.

Este ANEXO, pode ajudar a organizar o processo.

PS: Solicitar que um dos exemplares entregues na Embaixada seja carimbado com a data de entrega.

Fiquem bem.
Inté.

Anúncios

13 comentários

Boas
Muito complicado….nem imaginava
fazemos cá a concentração e entregamos a uma instituição de comfiança…..que faça lá chegar a ajuda..
vamos falando
abraço

Comentar por Ricardo Teixeira

Boas.
Nada disso,tudo depende do nº de pessoas e do estilo.
Inté

Comentar por Parola Gonçalves

Boas,
A Land Lousã sempre na linha da frente!
Muito bem…

Abraço

Comentar por pedrobêta

Boas.
Tentamos partilhar o que sabemos e que vamos vendo, lendo e ouvindo.
Pensamos que tudo terá de ser feito em ordem e assim será fácil, pensamos nós.
Inté.

Comentar por Parola Gonçalves

qual o porquê destas restrições?

Comentar por gonçalo

Boas
Ver http://www.tourisme.gov.ma

Comentar por Parola Gonçalves

A minha opinião é:
Poucos mas bons.
Isto talvez seja mau para quem nunca lá foi e
só pense lá ir para dar uma volta na areia e na pedra,
e não ligue à parte cultural, desprezando normalmente
os aspectos de património, cultura e gastronomia daquela
terra, normalmente indo em grupos grandes, com algum receio do que é diferente e falta de abertura, comendo
conservas e a passar fome até ao macdonalds em Marraqueche. Penso que esses não fazem lá falta e os
“grupos” vão acabar por ser apenas dois ou três carros
de gente que realmente aprecia aquela terra.
Cumpts.
raul

Comentar por raul silva

Boas Raul, bem esgalhada a tua opinião.
Nós por aqui estamos a apoiar seis ou oito Passeios e é essa componente que tento incutir, o máximo de 3 a 4 carros, comprar comida por lá, visitar os Parques Naturais e outros motivos de interesse.
Inté.

Comentar por Parola Gonçalves

Bom dia

Venho deixar o meu contributo referente a este assunto que tanto nos preocupa. Enviamos um mail para o Gandini e ele respondeu:

—–Mensagem original—–
De: jacques gandini [mailto:dpm30@sfr.fr]
Enviada: 16 January 2010 16:34
Para: fmaveiga@sapo.ptfmaveiga@sapo.pt
Assunto: Re: Document du Ministère du Tourisme du Maroc

La circulaire concerne uniquement les rallyes, raids et autres manifestations similaires motorisées ou non

De plus, il est dit dans cette circulaire :
“Les associations et organismes sans but lucratif, ne sont pas tenus de recourir, pour leur part, aux services d’une agence de voyages pour l’organisation des opérations susvisées, à condition qu’elles soient exclusivement organisées au profit de leurs membres.”

Donc si vous êtes un groupe organisé sous la responsabilité de quelqu’un (association à but non lucratif) ce n’est pas à vous de faire la preuve que vous n’êtes seulement qu’un groupe d’amis qui voyage.

Evidemment que si vous arrivez à 30 voitures super équipées et avec des numéros sur les portières, les autorités marocaines n’auront pas de difficultés à prouver que vous participez à une manifestation organisée avec encadrement et à exiger que vous soyez en règle suivant les nouvelles dispositions de la circulaire.

Donc vous n’avez pas d’inquiétude à avoir…

Bien cordialement.

J. Gandini

Comentar por João Silva

Boas.
Penso que estamos a falar do mesmo, no entanto penso que é aconselhável, entregar os papéis na Embaixada, pelos motivos expostos no nosso “post”. “Homem Prevenido Vale por Muitos”, já diz o ditado.
Disse…

Comentar por Parola Gonçalves

boas
logo por azar este é o 1º ano que levo mais carros comigo ( 13) , vamos passar a fronteira em grupos de 3 ou 4 viaturas e so iremos por os tóculantes e vestir as t-shirt´s depois de passar a fronteira .
entretanto tenho preparado tudo para entregar na embaixada e levaremos connosco todos os papeis que pedirem para levarmos .
depois relatarei aqui como foi.

jardas

Comentar por jardinas

Boas.
Obrigado, Man.
Pelo sim pelo não se fosse a ti entregava o processo na Embaixada e pedia para carimbarem a cópia.
Inté

Comentar por Parola Gonçalves

Eu penso que deviamos simplesmente cumprir a lei ou seja 99% de aquilo que organizamos em Portugal não são rallys, nem provas desportivas nem algo do genero ( são simplesmente passeios entre amigos sem fim lucrativo em Marrocos ) portanto não necessitamos de nada mais do que até aqui…conselho de quem nasceu em Africa, levem só aquilo a que são obrigados, se começamos a ir para a embaixada carimbar papeis e listas do genero qualquer dia temos de fazer isso só para ir lá com a esposa e um carro…para além de as autoridades tomarem isso como mais uma fonte de rendimento…
É isto que sempre me espantou nos Portugueses há coisas que são obrigatórias e não cumprimos e depois quando não é obrigatório por medo ou sem explicação complicamos a nossa própria vida e inventamos autorizações desnecessárias…
Penso que a opinião do Gandini diz tudo….

Continuem como até aqui e boas pistas.

Comentar por António




Os comentários estão fechados.