Land Lousã


MAPC2MAPC – Parte 2 (calibrar mapas) by joaocarloscardoso
15/07/2010, 13:01
Filed under: CARTOGRAFIA, LANDLOUSÃ, MAPSOURCE, OZIEXPLORER/COMPEGPS

Uma das razões principais para a utilização da ferramenta MAPC2MAPC prende-se com a capacidade e a facilidade que possui em converter formatos de ficheiros de calibragem de mapas do tipo raster.

Usualmente estes mapas raster são compostos pelo par de ficheiros imagem (tipicamente nos formatos .png, .tif, .jpg, .gif) + calibragem (caso do OziExplorer que se apresenta na extensão .map).

Pode ainda suceder que o mapa pretendido seja demasiado grande para o dispositivo utilizado na navegação. O MAPC2MAPC permite ao utilizador reduzir ou cortar o mapa, produzindo novos ficheiros de calibragem, adaptados assim às novas dimensões do mapa.

Estas operações têm início com o comando “menu File > Open Calibration”.

Através deste comando é aberto e lido o ficheiro de calibragem do mapa, produzindo-se as conversões do datum e da projecção. Nesse passo, pode ser pedido ao utilizador para escolher o datum.

Embora a versão actual do MAPC2MAPC possua já um conjunto relativamente extenso de datums (com origem em http://www.gpsu.co.uk) é possível que o nome seja diferente daquele que está armazenado no ficheiro de calibragem, pelo que é pedida a correspondência. Esta, é em diante mantida no sistema como correspondência por omissão e pode ser eliminada em qualquer momento através do comando “menu Edit > Remove Datum Match”

A imagem pode ser visualizada numa nova janela, através do comando “menu View > View calibrated map”, a qual exibe as coordenadas dos pontos por onde o ponteiro do rato se vai deslocando (sempre no Datum WGS84). Apesar de inicialmente ajustada à dimensão da janela (o que corresponde ao botão “fit”), a imagem pode ser ampliada (através dos botões “full” e “200%”) e permite, posteriormente, que o utilizador nela se desloque (através dos botões “D”own, “U”p, “L”eft e “R”ight). Os pontos utilizados para calibrar o mapa são exibidos com o símbolo de uma cruz vermelha.

Se aquilo que o utilizador pretende é simplesmente converter o formato do ficheiro de calibragem de um mapa, basta então, uma vez carregado aquele no MAPC2MAPC, escolher o comando “menu File >  Write calibrations”. É produzido um conjunto de ficheiros nos formatos .map (OziExplorer), .tfw (ESRI), .cal (Pathaway), .jpr (Memory-Map), .gmi (GPS Tuner map calibration data), .mcd(GPSMap-OS), .txt. O ficheiro no formato original não será reescrito, a menos que o utilizador tenha modificado o mapa directamente no MAPC2MAPC.

Para georeferenciar uma imagem do tipo raster o utilizador pode simplesmente proceder ao carregar da mesma a partir do comando “menu File > Load map for calibration”. Esta é dada a visualizar imediatamente  e ajustada à dimensão da nova janela. Premindo o botão rato sobre a caixa de texto com o valor “Click here to start calibrating” iniciamos o processo de calibragem.

Surge então a caixa diálogo de selecção do datum e método de projecção. Depois, o utilizador só tem que marcar os pontos (mínimo aconselhável 3) e carregar as coordenadas:

  • Em UTM estas são dadas em metros e apenas é necessária a parte numérica da zona (1 a 60);
  • Em latitude/longitude as coordenadas dos pontos podem ser dadas em graus, minutos e segundos; graus e minutos decimais ou graus decimais.

A coordenada do ponto de calibragem pode ser ajustada posicionando o ponteiro do rato sobre o ponto e premindo botão direito do rato.

Na caixa de diálogo é possível acertar com precisão o ponto na porção ampliada da imagem, através dos botões “D”own, “U”p, “L”eft e “R”ight, e aferir do mesmo no Google Maps (o que pressupõe uma conexão à Internet).

Terminada a marcação dos pontos de calibragem da imagem, o utilizador deve premir o botão rato sobre a caixa de texto com o valor “Click here to finish”. A janela é fechada e terminada a calibragem. Esta pode então ser gerada nos formatos atrás descritos através do comando “menu File >  Write calibrations”.

Outro método para calibrar uma imagem aproveita ficheiros de pontos (nos formatos .rxf, .txf, .mxf, .plt, .kml), utilizando assim as suas coordenadas. Para o caso o utilizador pode assim aproveitar um trajecto em OziExplorer (.plt) ou em Google Earth, onde se encontrem visíveis e marcados pontos importantes no terreno, tais como estradas, cruzamentos, e que sabemos pertencerem à imagem raster a calibrar.

Nesta opção deve-se utilizar o comando “menu File > Calibrate map from a file of points”. É pedida a imagem e o ficheiro de pontos. O utilizador só então que voltar a marcar (e ajustar) na imagem aqueles pontos que previamente possuia marcados no ficheiro de pontos (por exemplo, .plt ou .kml). As coordenadas são calculadas e como guia aparece a imagem do ponto no Google Earth.

Anúncios

1 Comentário

Parabéns pelo guia, muito obrigado!

Comentar por José Miguel Freitas




Os comentários estão fechados.