Land Lousã


Bit Map: Navegação 4×4 em iPhone ou iPad (Parte II –tratamento e carregamento de mapas) by joaocarloscardoso
11/11/2010, 23:13
Filed under: CARTOGRAFIA, LANDLOUSÃ, OZIEXPLORER/COMPEGPS

O Bit Map inclui apenas um mapa mundo básico, pois, o mesmo foi desenvolvido a pensar na visualização de mapas carregados pelo utilizador a partir de uma multiplicidade de fontes. Assim, a utilização mais intensa do Bit Map depende da instalação prévia de mapas por parte do utilizador.

Uma vez obtidos os mapas num formato digital existem três passos envolvidos no carregamento dos mesmos no Bit Map:

  1. Conversão, passo que designa o armazenamento da imagem num formato gráfico reconhecido pelo Bit Map.
  2. Calibrar, isto é a definição da área da Terra que o mapa representa. O Bit Map suporta dois métodos diferentes de calibrar um mapa. E por último,
  3. Instalação, ou processo de carregamento do mapa na aplicação. O Bit Map oferece três formas de instalar mapas.

 

Conversão

O Bit Map suporta já um conjunto de formatos gráficos relativamente extensos, conforme demos conta na primeira parte deste artigo (https://landlousa.wordpress.com/2010/11/07/bit-map-navegacao-4×4-em-iphone-ou-ipad-parte-i-%e2%80%93-apresentacao-e-caracteristicas/). Suporta assim formatos relativamente comuns como c JPEG, GIF, PNG ou até KMZ, pelo que o utilizador poderá saltar a maior parte das vezes o passo de conversão.

Entre os formatos gráficos mais comuns o JPEG é mesmo o preferido, dado que a possibilidade de compressão reduz os tempos de carregamento da imagem. O Bit Map converte internamente todos os mapas que recebe para o format JPEG e, nesse mesmo processo, recorre a opções de elevada compressão.

 Internamente, assim que é descarregado um mapa para o dispositivo iOS (iPhone ou iPad), a aplicação Bit Map divide e comprime a imagem em fracções, mais rápidas de carregar pelo dispositivo.

O Bit Map suporta ainda um formato proprietário: o formato OZF2 , ou OziExplorer 2 (.ozf2). Trata-se de um formato já antigo e que foi substituído por outro mais recentemente: o OZF3. Este último, contudo, não é suportado pelo Bit Map.

As imagens para serem convertidas no formatoOZF2 necessitam de um software específico. O mesmo pode ser descarregado a partir das seguintes hiperligações:

http://www.oziexplorer3.com/img2ozf/img2ozf_setup.exe

http://blog.marciowb.net/files/geo/prog/Oziexporer/

Os utilizadores do sistema operative Mac OS X terão que executar a aplicação img2ozf através do WINE.

A principal vantagem na utilização do formato OZF2 reside no facto do mesmo produzir já uma imagem optimizada, pelo que o Bit Map dispensa o trabalho de fraccionamento da imagem, algo que ocupa bastante memória e capacidade processamento por parte dos dispositivos iOS.

Calibrar

O Bit Map reconhece e suporta os ficheiros .map produzidos pelo OziExplorer, pelo que a preparação de um mapa a partir de uma carta digitalizada pode ser realizada previamente através daquela aplicação.

Embora o Bit Map permita visualizar mapas construídos a partir de qualquer sistema de projecção, as funções de localização e navegação em tempo real apenas estão disponíveis para os seguintes sistemas de projecção:

  • UTM (Universal Transverse Mercator);
  • latlon (Latitude / Longitude), segundo uma notação decimal.

 

Também a lista de datums (definições matemáticas da forma da Terra, ou elipsoide, combinadas com o offset relativo da origem do elipsoide a partir de um ponto conhecido) é limitada. Relembramos que os datums suportados pelo Bit Map são os seguintes:

  • wgs84
  • wgs72
  • nad27
  • nad83
  • a-can
  • eur
  • tokyo
  • aus
  • osgb36
  • sam69
  • sad-69
  • pulkovo
  • eur50
  • eur79
  • agd66
  • agd84
  • gda94
  • grs80
  • rome40
  • sasia
  • s-42
  • potsdam
  • carthage
  • pulkovo
  • oid

 

O par de ficheiros imagem (num formato gráfico suportado) e meta-informação de geo-referenciação (.map) deve, antes de se proceder ao seu carregamento e instalação no Bit Map, ser compactado num ficheiro .ZIP. Caso o utilizador pretenda carregar mapas contíguos, de modo a operar a sua junção, deve, do mesmo modo, proceder à sua compactação num único ficheiro .ZIP. Este procedimento é muito aconselhado, pois reduz significamente os tempos de carregamento e instalação no dispositivo iOS.

O nome do ficheiro .ZIP é utilizado pelo Bit Map para dar o nome ao mapa, pelo que o mesmo deve ser descritivo. Caso o utilizador coloque antes  os ficheiros numa pasta (ou directório) e compacte esta última, é o nome da pasta o utilizado para dar o nome ao mapa.

Instalação

Os mapas (convertidos e calibrados segundo os processos atrás descritos ou ficheiros KML/KMZ) podem ser carregados no dispositivo iOS de três formas:

  1. Através do iTunes e de uma conexão USB (estabelecida entre o PC e o dispositivo iOS).
  2. Através de uma rede WIFI, o que pressupõe que o PC e o dispositivo iOS estejam ligados e partilhem uma rede sem fios.
  3. Através de um web server, disponível na Internet ou numa rede local a que o dispostivo iOS tenha acesso.

 

Carregar e instalar mapas através do iTunes é o método mais rápido e também o mais simples. Apenas exige que o utilizador consiga ligar o dispositivo iOS por cabo USB ao PC onde se encontra instalada a aplicação iTunes. Em síntese, os passos são os seguintes:

  • Ligar o dispositivo iOS (iPhone ou iPad) que possui o Bit Map instalado a um PC com iTunes por cabo USB;
  • Na aplicação iTunes seleccionar o dispostivo iOS (painel à esquerda);.
  • Seleccionar o separador “Aplicações”;
  • Naquele, deslocar-se até à secção “Partilha de Ficheiros” e seleccionar da lista de aplicações compatíveis o “Bit Map”;
  • Carregar o ficheiro .ZIP através do botão “Adicionar…” e depois sincronizar;
  • Uma vez terminada a cópia, o utilizador deve abrir o Bit Map no dispositivo iOS e tocar no botão “•••” que se encontra no topo da barra de ferramentas para ter acesso à barra de definições e gestão de mapas;

  • Tocar no botão “+” para instalar o mapa;

  • Esperar que o Bit Map processe os ficheiros.

É também possível carregar um mapa no Bit Map recorrendo a uma rede WIFI. O PC que possui o mapa e o dispositivo iOS necessitam de estar ligados a uma rede sem fios.

Neste caso o Bit Map direcciona o utilizador para o browser web do PC (Internet Explorer, Chrome, Firefox, Safari entre outros) e aí deverá  carregar o endereço (URL) que o Bit Map apresenta quando se toca no botão”+”. Esta aplicação disponibiliza um serviço web próprio de carregamento (Upload).

Já no browser web do PC o utilizador terá que, primeiro, validar o acesso introduzindo a chave de segurança apresentada pelo dispositivo iOS e depois seleccionar o ficheiro .ZIP.

É ainda possível descarregar um mapa no Bit Map através de um servidor web, desde que acessível ao dispositivo iOS (Internet ou rede local). Na janela de carregamento , disponível a partir do botão “+” o utilizador só tem que colocar o endereço e tocar no botão “GO”.

Qualquer que seja o método de carregamento utilizado, o Bit Map mantém a inter-actividade com o utilizador ao exibir alertas e barras de progresso. Nesse período a entrada em suspensão por parte do dispositivo iOS é desactivada.

Anúncios

3 comentários

boa tarde
gostaria de saber onde arranjo as cartas militares de portugal e qual o ficheiro que passo para o iphone

Comentar por Emanuel

Boa tarde,
Se a carta militar se encontrar já calibrada para OZI (algo que o IGEOE já disponibiliza), terá primeiro que compactar o par de ficheiros que a compõem (ficheiro .jpg com a imagem e ficheiro .map com as georeferências) num ficheiro .zip. É este último que envia para o Bit Map.

Cumprimentos

Comentar por joaocarloscardoso

qula a versao que descarrego do IGEOE

Comentar por Emanuel




Os comentários estão fechados.