Land Lousã


CHOTT TIGRI VERSUS LEGIÃO ESTRANGEIRA by Parola Gonçalves
14/03/2011, 11:42
Filed under: MARROCOS

Boas.

A zona do Chott Tigri, é uma das mais espectaculares de Marrocos, não só pela sua paisagem, pela riqueza de um dos maiores aquiíferos de África (cerca de 450 M m3 por ano), pelo sua reserva ornitológica e também pelas Batalhas que se travaram, nomeadamente com a Legião Estrangeira.

Mas, uma das mais importantes características do Chott Tigri é a cor do seu solo, vermelho, que advém de uma mistura de areia com argila, tornando-se “peganhosa”, do tipo plasticina, que se cola a quase tudo, com o inconveniente de “tapar” os favos dos radiadores.

Uma das maiores batalhas que tiveram lugar na zona do Chott Tigri, foi no dia 26 de Abril de 1882, quando uma uma coluna de pessoal em missão topográfica, escoltada por duas Companhias, do 3º Batalhãoda Legião Estrangeira, foram emboscados e atacados por vários milhares de rebeldes comandados por um guerrilheiro de nome Bou Amana.

Bou Amana, foi sempre um feroz opositor da presença da França no norte de África tendo enfrentado a Legião Estrangeira por diversas vezes.

Desta vez a zona de batalha foi em Chott Tigri, terreno aberto, sem elevações significativas, em que os 300 homens da Legião Francesa comandados pelo Joseph Damase Chartrand se bateram numa das mais violentas batalhas “do início da libertação de Marrocos”.

A batalha durou mais de 7 horas e morreram mais de 2000 homens, dos quais, cerca de 100 Legionários. Bou Amana e os seus guerilheiros fizeram diversas investidas, mas a colocação das tropas de Chartrand e o seu armamento, fizeram que Bou Amana batesse em retirada, face ao elevado número de mortos no campo de batalha.

Segundo os relatos da época, Joseph Damase Chartrand, bateu-se como um herói, tendo perdido o seu “Képi”, o seu sabre e o revólver, tendo ficado ferido com gravidade. Mas mesmo assim, comandou as suas tropas para uma vitória importante, sendo de realçar que no final da batalha tinha entre mão um espada que tinha retirado a uma guerrilheiro de Bou Amana.

Em 1907 a Legião Estrangeira, mandou construir um Memorial em homenagem aos mortos de 1882, Memorial este que está assinalado no Guide Gandini.

Depois deste pequeno relato histórico, aconselhamos todos aqueles que gostam de Marrocos a visitar esta zona, já que permite navegar em harmonia com o ambiente, disfrutar de espaços ricos em pessoas, fauna e flora e sobretudo sair das Rotas Emblemáticas.

Toda a faixa de compreendida no rectângulo, entre Taza, Oujda, Figuig e Boudenib é uma das mais valias de Marrocos com espaço de aventura, navegação, orientação e autonomia em 4×4.

Pequenas jóias como o pequeno Oásis de Iche, a Pista de Iche a Figuig, ea Pista de Bebi Tajid a Missouri, foi do mais emocionante que percorremos em 2010.

Fica mais uma sugestão cujo Percurso pode ser visto AQUI.

Outras notícias AQUI.

Inté

Anúncios

1 Comentário

Em 2012 quero conhecer essa zona, quem sabe na companhia do amigo Parola.

Comentar por Rui Rodrigues




Os comentários estão fechados.