Land Lousã


Rota por Celorico da Beira 2009
27/01/2009, 11:32
Filed under: NOTICIAS, PASSEIOS E AFINS

Boas.

O já tradicional passeio por terras de Celorico da Beira será realizado em Abril, em fim de semana ainda a confirmar.

Como sempre será acessível a qualquer TT e de dificuldade reduzida.

Destacam-se as magníficas paisagens serranas, o convívio e a jantarada no Zé das Iscas.

Mais novidades em breve.

André Bela.

Anúncios


LANDLOUSÃ NA AVALANCHE 2008
02/10/2008, 15:07
Filed under: BTT, NOTICIAS

 

Agentes infiltrados no seio da LANDLOUSÃ, forneceram esta foto espia, onde se pode ver a YÉ-YÉ do Mestre Parola em fase de preparação para o grande evento de Downhill.

 Apurámos junto do mecânico da equipa, que vêm três camiões cisterna de WD40, para meter a transmissão a funcionar ao gosto do atleta.

De notar o apurado trabalho ao nível da geometria e suspensão activas desta máquina infernal, mostrando que a este nível não se brinca.

Trata-se de uma máquina que transpira velocidade e munida de tecnologia de ponta.

Pormenores como o quadro em Óxido de Ferro (para ser mais leve) e o Selim em Couro natural, não deixam margem para dúvidas!

Trata-se de uma séria candidata ao pódio, coisa já habitual à auto-intitulada LAND LOUSÃ – BIKE TEAM.



LAND LOUSÃ NO VALLNORD BIKE PARK
30/09/2008, 11:10
Filed under: BTT

Estas férias, tive oportunidade de intercalar no programa uma visita ao Bike Park de Vallnord.

Era uma ideia que eu já tinha há algum tempo, pois tenho uma panca mais ou menos escondida pelo Downhill!

O André Bela, fez-me o desafio: Olha lá, já que vamos a França que tal uma paragem estratégica em Andorra para desbundarmos feiamente no Bike Park? Óbvio que fiquei em pulgas com a ideia!

No primeiro dia de Férias, arrancámos de Celorico da Beira directos para Andorra, tendo nesse noite dormido já em La Massana.

De manhã andámos a ver as lojas de bikes que tinham para aluguer. Todas no centro e pertíssimo do Teleférico! How convenient!!! As nossas excelentíssimas estavam em pleno habitat natural, pois Andorra La Velha é mm ali!!!!

Confesso que a minha ideia era bem definida em relação à bike que queria experimentar! Estávamos em Vallnord, La Massana, em ambiente Cedric Gracia, outra coisa não me passava pela cabeça senão abusar de uma Commençal SupremeDH! Tinha de ser!
Dirigi-me à loja do Cedric Gracia a Pit Stop e só tinham Furious para alugar! Era bom mas sou de ideias fixas! Aproveitei e iniciei as hostilidades das compras e trouxe umas luvas muito à maneira!

Lá perto havia outra loja onde o André já tinha ido da outra vez e que tinha sido muito bem atendido, que é a Pic Negre. Aqui também alugavam Commençal e tinham SupremeDH e MiniDH (muito parecida de quadro mas com menos curso).
Decidimos alugar as duas, eu a SupremeDH, com 200 na frente e 185 atrás e o André a MiniDH com 160 na frente e 150 atrás.

Resta também dizer que só me tinha montado uma vez numa Demo8 mas nunca tinha descido nada com uma bike de Downhill, seria tudo novo na estreia!

E lá fomos!
Primeiro filme foi meter uma bike de 19 Kg e compridíssima dentro do teleférico! As portas abrem pouco! Mas lá no safámos, lá coubemos os dois mas as bikes! Nada Fácil!

 Iniciámos por duas pistas fáceis, seguindo o conselho do bacano da loja, para nos ambientarmos às bikes e ao terreno!
Depois mandámo-nos para as pistas vermelhas!

      

 Aqui o avião com mais pormenor! MÁQUINA!

Fizemos as pistas todas menos as duas mais difíceis. A do Cedric Gracia e a das Madeiras, primeiro porque o nosso nível não nos ia permitir aproveitar as pistas, uma vez que somos principiantes e para andar a pé escusamos de ir agarrados às bikes e depois porque ficámos viciados na pista OLD SCHOOL!

Aquilo são single tracks intermináveis, ora de pedra ora de terra, sempre entre àrvores, com inclinação sempre puxadita, sempre muito rápidos e técnicos!

Na minha primeira descida do OLD SCHOOL fui literalmente a hiperventilar até lá abaixo! A adrenalina e a velocidade são indescritíveis, cheguei lá abaixo e até me doía o coração tal a adrenalina! É brutal!

A bike papa tudo e dá uma confiança assustadora!

Dei por mim a voar, aterrar já em rampa inclinada, mas mesmo inclinada para em menos de 3 metros ter um releve brutal e curvar quase para tras! A sensação de chegar a um releve com aquela velocidade, a travagem brutal e o baldanço para a curva e isto repetido algumas vinte vezes na mesma descida é qualquer coisa de BRUTAL!

Na terceira descida já não tinha travões, os AVID juicy Three mesmo com discos de 200 não fazem milagres! O que acabou por influenciar e muito a condução nas últimas descidas! Àquela velocidade não conseguir travar como se quer e quando se quer pode correr muito mal!
As marcas profundas nos capacetes e nas protecções mostram bem que a cair será feio!

O cansaço era notório, estávamos já completamente encharcados ao fim de cinco ou seis descidas! Cansa e muito! Mas acho que com travões melhores tinhamos feito mais uma ou duas descidas a bombar a sério!

Tivemos duas quedas, valeram as protecções!



Percurso na Serra da Rapa – BTT – (Celorico da Beira)
06/02/2008, 14:17
Filed under: BTT

rapa_btt_2008.png 

Enquanto andava a preparar o trajecto final para a Rota TT por Celorico da Beira, falei com os meus amigos da Rapa sobre uma picada que me tinham contado existir ali para aqueles lados.

Conversa pr’aqui, conversa pr’ali, logo me disseram que só podia ser a descida do marco geodésico da Soida mas que dificilmente um jipe lá passava.

Sendo assim ficou combinado mostrarem-me in loco a tal descida para uma análise mais delicada do assunto. De facto aquilo talvez se faça de jipe, eu não passo lá porque a inclinação, as valas, os degraus e sobretudo o precípicio do lado esquerdo metem algum respeitinho, o que é certo é que para fazer de BTT é o percurso ideal, bem radical, com muitas curvas, pedras e tudo o mais que se possa esperar quase ao nível da pista de Downhill de Gouveia (sem os saltos e o roadgap, claro…)

O percurso que proponho é uma volta  de cerca de 25km em torno da Serra da Rapa.

De facto, a extensão não indica a dureza do percurso, é que no final o acumulado de subidas ronda os 700m de desnível. 

O início faz-se por um estradão largo de bom piso sempre a subir e com rampas a rondar nalguns pontos os 18% ao longo de 5kms. Chegados lá acima é tempo de recuperar o fôlego e regalar a vista. À esquerda avista-se Celorico, à direita e ali tão perto a Guarda, a barragem do Caldeirão… Simplesmente magnífico!! Vale a pena trepar ao marco geodésico para apreciar melhor a paisagem. Depois, começa a adrenalina, uma descida vertiginosa, encosta abaixo, com muita pedra, curvas a 180º e muita mas mesmo muita velocidade até à estrada. Mais uma subida durinha e nova descida. Esta menos degradada, mais longa, mas com giestas traiçoeiras que mal deixam ver onde pisam as rodas. Chegados à estrada rumamos até à Lageosa do Mondego onde apanhamos o estradão a subir de volta até à Rapa.

Nota: Percurso exigente a nível técnico e físico. Não faça o percurso sozinho

Track GPS, Aqui

Comentários Desativados em Percurso na Serra da Rapa – BTT – (Celorico da Beira)


Dakar 2009 e 2011 em Portugal. Será?
07/11/2007, 10:56
Filed under: NOTICIAS

Segundo o jornal online http://www.ojogo.pt, o Dakar voltará a partir de terras lusas em 2009 e 2011. Aqui fica a transcrição da notícia:

“Dacar em Portugal por mais dois anos”
ANTÓNIO GONÇALVES RODRIGUES

“A caravana do Rali Dacar, a mais famosa prova de todo-o-terreno do Mundo, vai permanecer por terras portuguesas pelo menos até 2011, com uma passagem por Budapeste (Hungria) pelo meio, em 2010.

O contrato de três anos entre a Lagos Sports chega ao fim em 2008 (a partida é a 5 de Janeiro), na 30ª edição da prova, mas O JOGO sabe que o empresário português já terá chegado a acordo com a Amaury Sport Organization (ASO), responsável pelo rali, para que as partidas de 2009 e 2011 se realizem em Portugal. Joana Lemos, directora da Lagos Sports, não quis comentar, remetendo mais novidades para uma conferência de imprensa a 21 de Novembro (em Lisboa e Paris), juntamente com a ASO, que servirá para desvendar as novidades previstas para a próxima edição, que assinala os 30 anos do rali. Desde o final da última edição que eram públicos os contactos para a renovação do contrato, bem como o interesse de outras cidades, como Madrid, Barcelona, Budapeste ou cidades turcas e italianas. ”



MARATONA VALE DO VOUGA BTT – Águeda
02/10/2007, 11:26
Filed under: BTT

No passado dia 30 Setembro, 2 membros do LandLousã viajaram até Águeda para mais uma boa manhã de BTT.Uma preparação fisica descuidada, umas chuvadas monumentais mas muita vontade de chegar ao fim resultaram num percurso épico. Um verdadeiro teste ao “óme” e à máquina. Aqui fica o nosso relato:

Acordámos cedinho e constatámos que chovia, o Windguru não falha! Ou seja, a coisa seria molhada a manhã inteira! Mais uma vez, a nossa superior preparação permitia-nos estar descontraídos!Chegados á zona da prova, equipámos com calma (incluindo 5 minutos dento do carro à espera que parasse de chover!) e lá seguimos para a partida!
1000 gajos ali á espera de partir, sendo que nós que curtimos cenas difíceis, nos fomos colocar mesmo no final do pelotão! Ah e tal, eu curto fazer as provas de trás para a frente!
Como não estava chover, decido tirar o impermeável! Dá-se a partida, arrancamos lentamente, há uma primeira subida de cerca de 2 Km em asfalto, e penso: Já estou todo afanado, ainda agora começou e já estou cansado! Vai ser FEIO!
Assim que saímos do asfalto, cai uma carga de água daquelas diluvianas! Durou cerca de meia hora quando acalmou!
O terreno ficou tipo rafting/cannioning nas descidas e subidas e tipo pantanal nas rectas! O delírio, tudo estava cheio de  lama, as bikes e sobretudo os bikers, qual SPA qual quê era ver toda a gente a fazer tratamento de lama esfoliante!
Estranhamente recupero o fôlego e começamos a ganhar um andamento bom e a divertir-nos com tudo aquilo!
As poças algumas eram bem fundas, não sendo fáceis de passar, chegando a ter por muitas vezes ambos os pedais submersos!
As descidas, muito escorregadias com muita água, algumas com mais de um palmo de água a descer por ali abaixo eram um desafio nem sempre fácil de transpor, sendo que aqui tivemos a sorte de não cair, pois esticámo-nos feiamente em algumas que nao tinham tanta gente a servir de rolha (uma expressão nova que aprendi! LOL)!
As subidas, com água a escorrer por ali a baixo foram a  nossa medalha! Fomos dos poucos que as fizemos montados na bike, a esmagadora maioria do pessoal que ia connosco optou por desmontar, mas nós não! Algumas eram mesmo muito raçudas mas conseguimos e deu-nos um gozo imenso!
Estávamos a conseguir manter um ritmo bom, a divertirmo-nos, a conviver com o pessoal que ia com o nosso espírito e não íamos cansados ao suficiente para não aproveitarmos as vistas que eram fantásticas nalguns pontos!
Houve muita malta com problemas mecânicos. Malta sem travões, malta sem correntes, malta sem selim (sim, não é piada, houve um que andou mais de 10 Km sem selim!), malta sem mudanças, enfim aquilo foi um tratamento para as bikes daqueles! Da nossa parte tudo ok, sendo apenas de salientar que fiz os últimos kms sem travões atrás. O que foi pena, pois havia um single track nas margens do rio simplesmente espectacular! Fazer aquilo de gás em cima do travão da frente, foi obra! Muito domínio e uma maior dose de sorte!!
Valeu a pena, era espectacular e até nem escorregava assim tanto!!LOL
Já no final, fizemos uma paragem estratégica, para recuperar forças, onde fomos passados por muita gente! De salientar a falta de desportivismo! Ora se um gajo tá ali na boa a curtir o oxigénio, o pessoal não fazia mais do que a sua obrigação esperar por nós! Era o mínimo! Mas pronto!
Fizemos os últimos quilómetros relaxadamente, onde fomos ultrapassados por pessoal que tinha ido fazer os 80 Km! Lá está a falta de desportivismo! Afinal de contas qual é a pressa? Stresso com este pessoal que anda depressa de bicicleta! Ainda provocam algum acidente!
Chegámos ao final com um tempo espectacular de 3:44 minutos! Sendo que apenas fomos ultrapassados por 3 Atletas*!
Aqui outra falha grave! Aliás duas!
O André ganha-me por 5 segundos! Ainda aleguei que queria fotofinnish, sem sucesso!
Mas depois lembrei-me que tinha provavelmente perdido esse tempo precioso, quando troquei algumas impressões com uma septuagenária simpatiquíssima, que entre outras coisas me disse: Olhe que não é por aí, onde é que vai? Foi aqui que o André me passou! Imperdoável!

Imperdoável também o facto de não termos as nossas acompanhantes à nossa espera na meta! Demonstrando uma total falta de confiança nas nossas capacidades desportivas! Falha gravíssima!A boa disposição não nos abandonava, nem mesmo os ” lasers criogénicos ” aka duches nos tiraram essa boa disposição!

Até acabou por saber bem o banho frio, pena os jactos de água quase nos furarem a pele!

Depois a prova mais difícil! Mais de uma hora, em pé, para sermos servidos! Foi Homérico! Vá lá que depois a comida até estava boa e era em quantidade!

Estava cumprida a missão! Foi espectacular, uma estreia em grande para mim nas provas de BTT. Para o ano se puder estou lá batido!

É nesta altura que o André decide trazer para o activo uma instituição há muito enraizada na nossa sociedade, mas muitas vezes esquecida e até desprestigiada!

Estou a referir-me à bela da mantinha debaixo de uma árvore na relvinha, num sítio calmo e com boa vista!

Dirigimo-nos à lagoa da Pateira, e vai de estender a manta e ficar ali de papo pró ar! Muito bom mesmo! Relaxante, ideal para o descanso dos Guerreiros do Pedal!

 

* Malta dos 80 KM!

 

Track GPS, Aqui

 Para os mesmo malucos, o track GPS dos 80km, Aqui

 



Passeio BTT – Rapa – Celorico da Beira
25/06/2007, 13:23
Filed under: BTT

Este percurso de cerca de 38kms em pleno Parque Natural da Serra da Estrela tem início no complexo desportivo da aldeia da Rapa, a cerca de 13 kms de Celorico da Beira.

Com um grau de dificuldade técnica médio, o trajecto caracteriza-se por trilhos de bom piso, com algumas subidas prolongadas mas fáceis de transpôr.

No parque eólico aprecie a paisagem. A seguir, cuidado com a descida, bastante rápida e escorregadia.

Outro ponto a ter alguma atenção surge sensivelmente aos 19 Kms, no estradão ao lado da A25, onde surgem algumas lombas que escondem valas transversais ao caminho. 

Não faça o percurso sozinho.

Um agradecimento especial à Associação Cultural e Desportiva da Rapa pelo traçado do percurso.

Sugestões:

Dê um passeio a pé pelo Centro Histórico de Celorico.

Visite o Castelo e o Solar do Queijo.

Onde comer:

Lagar Municipal de Celorico da Beira, à saída da vila, na estrada em direcção a Trancoso.

Zé das Iscas – Tasquinha típica no Centro de Celorico 

Onde ficar:

Casa de Cima – Turismo Rural – Rapa 

Casa Largo do Cruzeiro – Turismo Rural – Celorico da Beira

Hotel Quinta dos Cedros – Celorico da Beira 

Track, Aqui




%d bloggers like this: