Land Lousã


“DICAS SOLTAS” – Converter mapas no formato Ozfx3 – OZIEXPLORER (10) by joaocarloscardoso
11/03/2012, 18:31
Filed under: CARTOGRAFIA, LANDLOUSÃ, OZIEXPLORER/COMPEGPS

O formato Ozf (Ozf2 e Ozfx3) é um formato proprietário do OziExplorer. Aliás, é mesmo o formato preferencial para se trabalhar com mapas no OziExplorer CE ou no OziDroid (OziExplorer para plataformas Android).

Trata-se de um formato otimizado para dispositivos móveis (do tipo PDA ou smartphone) onde os recursos de memória são sempre reduzidos e não existe a possibilidade de carregar por inteiro a imagem do mapa, tal como sucederia em formatos gráficos comuns do tipo raster (png, jpeg, png, tiff, bmp).

No entanto, tem um problema de portabilidade para com outras aplicações, como sejam o CompeGPS ou o OruxMaps (por via do seu utilitário OrixMapsDesktop). Efetivamente, os mapas no formato OZF apenas são suportados diretamente pelo OziExplorer.

A sua utilização por outras aplicações exige sempre um trabalho de conversão intermédia (e que abrange o par de ficheiros .map e .ozfx3). Para esta operação podemos recorrer a dois utilitários:

ozf2img.

Trata-se de uma ferramenta que funciona no modo de linha de comando (vulgarmente conhecida como aplicação a correr em janela de MS-DOS) e que deverá ser copiada para a mesma pasta onde se encontra o mapa constituído pela imagem ozfx3. A sintaxe da mesma é seguinte:

ozf2img -i<file>.map

O resultado do processamento é um ficheiro .png (Portable Network Graphics, formato gráfico surgido em 1996 para substituir o GIF).

 

DeMapper

O deMapper, ao contrário da ferramenta anterior, apresenta um interface gráfico. É de simples utilização. Basta ao utilizador seleecionar o(s) mapa(s) a converter, premindo para tal o botão “Choose Maps” e, depois, proceder à conversão através do botão “Decode Maps”.

O resultado do processamento é um novo ficheiros .png, localizado na pasta do(s) mapa(s) fonte.

Qualquer que seja a ferramenta utilizada, este novo ficheiro .png terá que ser associado ao ficheiro .map. Basta abrir através de um simples editor de texto e substituir na terceira linha o nome da imagem (de OZFX3 para PNG).

Anúncios


OziDroid 1.10 beta: Nova versão de OziExplorer para de OziExplorer para plataformas Android (Parte 4) by joaocarloscardoso
07/01/2012, 12:09
Filed under: LANDLOUSÃ, OZIDROID, OZIEXPLORER/COMPEGPS

Navegar em OziDroid  é uma operação simples e de especial importância já que  permite ter em tempo real a posição sobre o mapa..

Fixa à direita do ecrã existe uma barra de comandos. Nesta podemos encontrar um botão que permite ao utilizador activar/interromper a função de registo de trajecto (GPS tracking), centrando o mapa na posição corrente.

Esta opção é fundamental mas não chega se quisermos tirar todo o partido da aplicação em termos de navegação. Para o seu correcto funcionamento é necessário termos em contas um conjunto de configurações.

Mapas (Indexar)

Na navegação em tempo real podemos ser confrontados com a incapacidade do OziDroid em obter automaticamente o mapa mais detalhado. Estes problemas estão muitas vezes relacionados com configurações definidas pelo utilizador para a localização dos ficheiros .map (os mapas) e das correspondentes imagens (normalmente ficheiros .ozf2, .ozfx3).

Quando um ficheiro .map é aberto, o OziDroid procura automaticamente a imagem.

Indexar ficheiros tem o objectivo de acelerar a pesquisa dos mapas. Os ficheiros de índices são criados a primeira vez que a procura de mapas é iniciada. O tempo que leva a criar estes índices pela primeira vez depende do número de entradas definidas em Map File Paths (Main Menu > Configuration Menu > General Settings > Map File Path).

Os índices são utilizados nas seguintes circunstâncias:

  • Procura automática de um mapa em resultado da acção “GPS Position Tracking” e tendo activa a opção de procura do mapa mais detalhado (Main Menu > Configuration Menu > Moving Map, opção Check for more detailed map);
  • Utilização do menu Map ou das opções de controlo do ecrã:
    • Check for More detailed map;
    • More Detailed Map;

Assim, e de modo a garantir o correcto carregamento dos mapas,  deveremos realizar as seguinte operações:

  • Activar a opção de indexação automática dos mapas no arranque da aplicação (Main Menu > Configuration Menu > General Settings, opção Index Maps on OziExplorer Start);

A reindexação dos mapas pode também ser obtida expressamente através da  opção Index Maps, acessível a partir de Main Menu > Operation Menu Map Menu.

Mapas (Configurações)

O OziDroid utiliza sempre o Datum do mapa carregado.

O utilizador pode definir  o sistema de coordenadas em que deseja ver exibida a informação posicional, por exemplo UTM (Main Menu > Configuration Menu > Units Configuration, opção Position Format).

Trajectos (Registo do Trajecto Efectuado, ou Track Logging)

As opções de configuração do registo e visualização do trajecto efectuado encontram-se concentradas num único menu (Main Menu > Configuration Menu > Track  Configuration).

Neste, teremos que ter em conta as seguintes opções:

  • Show Track Tail,  que controla exibição sobre o mapa do trajecto efectuado.
  • Track Tail Color, que  especifica a cor utilizada para a representação do trajecto efectuado.
  • Log Track to File, que especifica o armazenamento dos trajecto em ficheiro. A opção Track Tail apenas permite o registo  temporário e em memória do trajecto efectuado. Para além disso possui uma extensão (ou “tail”) limitada a 1000 pontos. Se pretendemos um registo permanente  a opção “Log Track to File” deverá estar activa. O OziDroid irá criar automaticamente e por dia um ficheiro com o trajecto efectuado (track log file).
  • Track Point Reduction Factor, que controla o processo de filtragem e simplificação do trajecto. Efectivamente o OziDroid possui uma limitação de 30.000 pontos para o conjunto de trajectos carregados. Esta opção permite a sua filtragem e simplificação. Também afecta a extensão do Track Tail que é exibido, pois acabará por controlar a distância máxima que deve existir até um ponto de trajecto ser armazenado em memória. Quanto maior o valor, maior será também o número de pontos de trajecto eliminado.

Paralelamente, teremos que impedir a entrada  em modo de suspensão do dispositivo Android e assim interrompa o registo do trajecto que estamos a realizar (track logging).  Esta opção dá pelo nome de “Stop Device Sleeping” e encontra-se em Main Menu > Configuration Menu > General Settings.

Trajectos  (carregar automático)

O utilizador tem a possibilidade de carregar automaticamente os seus trajectos assim que o OziDroid entra em execução.

Para tal, basta criar um ficheiro com a designação “TrackLoadList.txt” na pasta especificada ao nível da opção “Data File Path” (normalmente, “/mnt/sdcard/OziExplorer/Data”) . Aí, deverá indicar os seus trajectos (um por linha).

São admitidas sub-pastas.

Um Exemplo de entradas no ficheiro “TrackLoadList.txt” (as duas últimas entradas demonstram a organização de trajectos em sub-pastas):

RotaCastanheiros.plt
MeuTrajecto01.plt
subpasta01/trajecto01.plt
subpasta02/trajectoDiaFinal.plt

Como nota final indicamos que o OziDroid dispõe de uma nova versão Beta (1.10) desde o dia 5 de Janeiro. Face à versão 1.09 que temos vindo a discutir, vem fundamentalmente corrigir erros.

Está disponível na seguinte hiperligação: http://www.oziexplorer3.com/android/oziexplorer1-release.apk

Tem a grande vantagem de poder ser instalada directamente sobre as versões anteriores (a menos que o utilizador disponha apenas de uma versão alpha).



“DICAS SOLTAS” – “Marcar trajetos em Google Earth e transferi-los para OziExplorer” – OZIEXPLORER (9) by joaocarloscardoso
11/12/2011, 17:10
Filed under: LANDLOUSÃ, OZIEXPLORER/COMPEGPS

Esta é uma opção interessante quando pretendemos aproveitar a funcionalidade de planeamento de itinerários (sobretudo os de longa distância) disponibilizada pelo Google Earth e posteriormente proceder a operações de editação e/ou navegação sobre o trajeto resultante através do OziExplorer.

Ao utilizador basta abrir o Google Earth e depois, ao nível da barra lateral, separador “trajectos”, definir os pontos de partida e de chegada.

O trajeto entretanto calculado pode ser guardado como um ficheiro KML. Basta ao utilizador posicionar-se sobre o tajecto na barra lateral e premir o botão direito do rato. Ao nível do menu contextual, seleccionar então o comando “Guardar local como…”.

Já ao nível do OziExplorer, uma vez iniciado e carregado um mapa, o ficheiro KML pode ser  importado a partir de “menu File > Load from file > Import Google Earth (kml) file”.

Comentários Desativados em “DICAS SOLTAS” – “Marcar trajetos em Google Earth e transferi-los para OziExplorer” – OZIEXPLORER (9)


GPX Track Splitter: Dividir um trajecto (track) em segmentos by joaocarloscardoso
01/12/2011, 11:36
Filed under: MAPSOURCE, OZIEXPLORER/COMPEGPS

Alguns dos modelos de GPS, nomeadamente a maior parte das unidades GARMIN utilizadas em TT, BTT ou caminhada, permitem registar até 10.000 pontos por trajecto activo efectuado  (track log). No entanto, se se proceder ao seu armazenamento, a unidade levará a cabo uma simplificação do trajecto até um máximo de 500 ou 700 pontos, segundo algoritmos que fazem “cair” pontos considerados desnessários ou redundantes, e onde o utilizador não tem qualquer intervenção ou controlo. Sucede o mesmo quando enviamos um trajecto a partir de aplicações como o MapSource  ou o BaseCamp, instaladas no PC, para o dispositivo GPS.

Se descarregarmos este trajecto activo que foi sendo registado no dispositivo GPS e o armazenarmos no formato GPX, é, depois, possível e com recurso a uma ferramenta procedermos à sua divisão em segmentos, preservando assim todo o detalhe.

Para tal podemos utilizar o GPX Track Splitter. Trata-se de uma ferramenta desenvolvida pelo português Jorge Lopes e totalmente livre. Pode ser descarregada a partir da página do próprio autor:

http://sites.google.com/site/gpxtracksplitter/

É dotada de um interface muito simples. O utilizador inicia o processo de divisão do trajecto em segmentos através do carregamento do ficheiro com o trajecto original em formato GPX (GPX input file):

Neste exemplo o trajecto original possui 3256 pontos, pelo que se o importasse directamente para o dispositivo GPS (mais concretamente, um GARMIN GPSmap 60CSx), a operação de simplificação ou truncagem conduziria à perda de 84% dos pontos.

A opção “Make first point equal last point of previous splitted track” garante ao utilizador que os segmentos se justapõem nos extremos e proporcionam uma continuidade ao conjunto.

Ao marcarmos a opção “Delete source track”, o trajecto original não será incluído no ficheiro GPX a criar com os segmentos.

Podemos ainda controlar a cor dos segmentos, bem como o seu nome. Este último pode ser gerado automaticamente pela ferramente ou dado pelo utilizador (ao qual será anexo um número).

Para procedermos à divisão, basta seleccionar a caixa de marcação que antecede o trajecto e depois premir o botão “SPLIT”. Como deixámos seleccionada a opção “Ask for name of tracks for each selected” será pedido o nome a dar a cada segmento:

O resultado obtido foi o seguinte:

O trajecto original foi assim dividido em 7 segmentos, todos eles dentro do intervalo de pontos suportado pelo dispositivo GPS. Se visualirmos os mesmos no MapSource verificamos que, no global, o trajecto mantém todo o detalhe para navegações futuras:

Comentários Desativados em GPX Track Splitter: Dividir um trajecto (track) em segmentos


OZIEXPLORER – NOVA ACTUALIZAÇÃO by Parola Gonçalves
28/11/2011, 13:56
Filed under: OZIEXPLORER/COMPEGPS

Boas.

Saíu uma nova actualização do Oziexplorer, seja a versão 3.95.5n.

Adiciona alguns novos modelos de GPS’s e outras funcionalidades com relativa importância.

Bons Trilhos.

Comentários Desativados em OZIEXPLORER – NOVA ACTUALIZAÇÃO


Novas versões de Androzic e OruxMaps by joaocarloscardoso
05/11/2011, 09:16
Filed under: CARTOGRAFIA, OZIEXPLORER/COMPEGPS

Em Outubro saira novas versões para as aplicações de navegação sobre cartografia do tipo raster  Androzic e OruxMaps . Tratam-se, como já demos conta em artigos anteriores, de clientes de navegação para sistemas operativos da família Android (logo, instalável em smartphones ou Tablets) e adaptados a actividades de outdoor.

A última versão do OruxMaps (v.4.4.1) foi disponibilizada no portal do autor e no Android Market dia 19 de Outubro. Trata-se de uma versão que vem apenas corrigir erros internos de funcionamento do produto.

O  Androzic, aplicação que utiliza como fonte preferencial de informação mapas nos formatos proprietários dos produtos OziExplorer e OziExplorerCE (.ozf2 e .ozfx3), possui uma nova versão (1.0.1)  desde 24 de Outubro.

Dado existirem vários datum em utilização simultânea, o Androzic já incorpora e permite a selecção de um conjunto muito amplo. No entanto, os datums utilizados em Portugal para elaboração da Cartografia à escala 1:25 000, Datum Lisboa (Portugal) e European 1950 (Portugal), não se encontram presentes, à semelhança do que sucede com o OziExplorer. O utilizador tem sempre a possibilidade de adicionar tais datums a partir do ficheiro datums.dat que já possua no OziExplorer. Basta copiar o mesmo para a pasta em que se encontra instalada a aplicação.

A sua definição e utilização pode ser vista mais em pormenor noutro artigo da Land Lousã:

https://landlousa.wordpress.com/2009/06/16/oziexplorer-ficheiros-ocultos/

Comentários Desativados em Novas versões de Androzic e OruxMaps


Os Ficheiros “Secretos” do OziExplorer (DAT) by joaocarloscardoso
05/10/2011, 18:43
Filed under: OZIEXPLORER/COMPEGPS

Determinadas funcionalidades do OziExplorer podem ser controladas por meio da adição de ficheiros .dat às pastas onde aquela aplicação se encontra instalada.

Estes ficheiros ocultos são lidos e verificados pela aplicação durante o seu arranque. Muitos, quando existem, encontram-se vazios e a sua eliminação ou modificação do nome/extensão não determina um erro na execução do OziExplorer.

A informação que se segue é baseada na versão OziExplorer 3.95.1 e posteriores. Alguns dos ficheiros são igualmente utilizados por ferramentas relacionadas com o OziExplorer: casos do OziExplorerCE ou do Img2ozf.

Dada a extensão do documento, optou-se pela sua colocação num sistema on-line de partilha de ficheiros:

https://skydrive.live.com/redir.aspx?cid=9ae3df5d4e1a32a9&resid=9AE3DF5D4E1A32A9!102




%d bloggers like this: